Porto – Poesia da Cidade

poesia-da-cidade

Ver o Porto! Ver o Porto é evocar certa forma de cidade escondida que conservamos dentro de nós, densa, inpenetrável, como a neblina envolvendo as manhãs e fundindo o rio com os cais e os barcos. Ilusão de sombras irreais. Transparências. Crepúsculos caindo,suaves, recortando a leveza das pontes, a elegância das torres, os contornos do casario.

Ver o Porto é evocar a suave melancolia dos jardins da cidade – sobretudo no Outono – quando o ambiente se converte em nostalgia.

Ver o Porto é reconhecer a diversidade das suas freguesias, do interior das margens do Douro, em Campanhã, à costa Atlântica, na Foz e em Novogilde. É a descoberta dos segredos de uma cidade impregnada de espontânea e assumida identidade.

 

Edição da Prosegur Madrid 1997 


 
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 34 outros seguidores

%d bloggers like this: