NO MONTE PEDRAL

A Câmara do Porto quer «reaver o Quartel do Monte Pedral» destinando-o a habitação de «arrendamento acessível.» Já que o Estado nada faz, ao menos que deixe fazer.

O edifício começou a construir-se, em 1892, pela CMP, para Asylo-Escola D.ª Maria Amélia destinado a 200 rapazes em risco. O projecto correspondia ao actual corpo do Quartel. Todavia, a criação do Regimento de Cavalaria 9, no Porto, e a necessidade da sua instalação vieram complicar aquele intento, além das dificuldades financeiras do Município o levarem a suspender as obras.

Como o Ministério da Guerra procurava local para o Quartel e o do Asilo surgia como ideal, a Câmara via-se aliviada e os militares resolviam o problema. E chegaram a acordo. Em 22.10.1904, seria assinada a sua cedência ao Ministério da Guerra.

O escritura incluía várias cláusulas. A 1.ª, cedia o terreno, mas a 3.ª ressalvava que «caducará logo que ao terreno ou à construção que se fizer, for dado um destino diverso do estabelecido». E o Quartel foi construído. Em 5.5.1920, nova escritura cedeu mais uma parcela para a conclusão do Quartel, que «caducará logo que ao terreno ou à construção que sobre ele se vai fazer, for dado destino diverso daquele para que é cedido (…)»

Como, de militar, resiste um tanque ferrugento na sua porta de armas é a altura de serem cumpridas aquelas premissas. O edifício funcionalmente acabou. Que sirva para dar resposta às necessidades da cidade, transformando a inutilidade em habitação para portuenses que vivem no 3.º mundo. Apoio, portanto, aos objectivos da Câmara e venha o Quartel para o Bem Comum.

©helderpacheco2019

Anúncios

~ por Helder Pacheco em 2019-01-19.

 
%d bloggers like this: