CORO DA SÉ CATEDRAL DO PORTO

  O CORO DA SÉ CATEDRAL DO PORTO (CSCP) foi fundado, em 1 de Março 1971, pelo Cón. Dr. António Ferreira dos Santos, Mestre Capela da Catedral. A longa tradição cultural e musical da Catedral, entretanto perdida entre nós, levou o Mestre Capela a criar um Coro que, no dizer dos então recentes documentos do Concílio, continuasse aquela “tradição que proporcionou à Igreja um verdadeiro tesouro para a celebração do culto divino”. Do Coro da Sé, encabeçado pelo seu fundador e maestro, partiram diversas iniciativas musicais que contribuiram para melhorar o ambiente musical do Porto e do Norte, nas 3 últimas décadas do século findo e que se materializaram na criação de uma Escola Diocesana de Música sacra, de Coros paroquiais, na formação de jovens em Escolas Superiores no estrangeiro, no restauro e aquisição de novos Órgãos de Tubos, na apresentação em Concerto das grandes obras-primas da música sacra, muitas delas em primeira audição em Portugal, nos cursos de índole pedagógica para a iniciação musical das crianças, etc..

O repertório do Coro é vastíssimo e inclui os grandes mestres da polifonia clássica (Palestrina, Lassus, Victoria, etc.), do barroco e do clássico (Gabrieli, Praetorius, Buxtehude, Carissimi, De La Lande, Charpentier, Vivaldi, J. S. Bach, Händel, Haydn, Mozart), do romântico (Schubert, Bruckner, Brahms, Rheinberger), da música mais recente (Poulenc e Duruflé).

A divulgação música sacra portuguesa, antiga e moderna, tão pouco conhecida entre nós e, por isso, não devidamente apreciada – e que é objecto do actual CD – tornou-se, desde o início, um dos objectivos do Coro. Neste campo, o seu repertório vai desde o séc. XV ao séc. XX, com mestres de alto gabarito (Pedro de Escobar – dito, do Porto – Manuel Mendes, Francisco Martins, Lopes Morago, Dias Melgaz, Manuel Cardoso, Manuel Tavares, D. Pedro de Cristo, Estêvão de Brito, Rodrigues Esteves, D. João IV, José Joaquim dos Santos, Sousa Carvalho, Silva Leite, Domingos Bomtempo, Luís Rodrigues, Manuel Faria, Ferreira dos Santos, Fernando Lapa, e um autor portuense anónimo do séc XVIII.

O Coro da Catedral do Porto fez digressões na Galiza, Inglaterra e Alemanha, apresentando, exclusivamente, música sacra polifónica e coral-sinfónica portuguesa.

O Coro da Sé é um Coro amador, apoiado financeiramente por instituições públicas e privadas. O seu actual director artístico é o maestro Eugénio Amorim. Foi distinguido com a Medalha de Prata da Cidade do Porto e com a Medalha de Mérito Cultural, pelo Governo Português.

O CORO DA SÉ CATEDRAL DO PORTO (CSCP) foi fundado, em 1 de Março 1971, pelo Cón. Dr. António Ferreira dos Santos, Mestre Capela da Catedral. A longa tradição cultural e musical da Catedral, entretanto perdida entre nós, levou o Mestre Capela a criar um Coro que, no dizer dos então recentes documentos do Concílio, continuasse aquela “tradição que proporcionou à Igreja um verdadeiro tesouro para a celebração do culto divino”. Do Coro da Sé, encabeçado pelo seu fundador e maestro, partiram diversas iniciativas musicais que contribuiram para melhorar o ambiente musical do Porto e do Norte, nas 3 últimas décadas do século findo e que se materializaram na criação de uma Escola Diocesana de Música sacra, de Coros paroquiais, na formação de jovens em Escolas Superiores no estrangeiro, no restauro e aquisição de novos Órgãos de Tubos, na apresentação em Concerto das grandes obras-primas da música sacra, muitas delas em primeira audição em Portugal, nos cursos de índole pedagógica para a iniciação musical das crianças, etc..

O repertório do Coro é vastíssimo e inclui os grandes mestres da polifonia clássica (Palestrina, Lassus, Victoria, etc.), do barroco e do clássico (Gabrieli, Praetorius, Buxtehude, Carissimi, De La Lande, Charpentier, Vivaldi, J. S. Bach, Händel, Haydn, Mozart), do romântico (Schubert, Bruckner, Brahms, Rheinberger), da música mais recente (Poulenc e Duruflé).

A divulgação música sacra portuguesa, antiga e moderna, tão pouco conhecida entre nós e, por isso, não devidamente apreciada – e que é objecto do actual CD – tornou-se, desde o início, um dos objectivos do Coro. Neste campo, o seu repertório vai desde o séc. XV ao séc. XX, com mestres de alto gabarito (Pedro de Escobar – dito, do Porto – Manuel Mendes, Francisco Martins, Lopes Morago, Dias Melgaz, Manuel Cardoso, Manuel Tavares, D. Pedro de Cristo, Estêvão de Brito, Rodrigues Esteves, D. João IV, José Joaquim dos Santos, Sousa Carvalho, Silva Leite, Domingos Bomtempo, Luís Rodrigues, Manuel Faria, Ferreira dos Santos, Fernando Lapa, e um autor portuense anónimo do séc XVIII.

O Coro da Catedral do Porto fez digressões na Galiza, Inglaterra e Alemanha, apresentando, exclusivamente, música sacra polifónica e coral-sinfónica portuguesa.

O Coro da Sé é um Coro amador, apoiado financeiramente por instituições públicas e privadas. O seu actual director artístico é o maestro Eugénio Amorim. Foi distinguido com a Medalha de Prata da Cidade do Porto e com a Medalha de Mérito Cultural, pelo Governo Português.

Anúncios

 
%d bloggers like this: