Convidado da iniciativa «Os escritores visitam a biblioteca…»

helderpacheco

Fernando Melo lançou o repto a Helder Pacheco: um livro sobre Valongo, as suas gentes, património e tradições. O escritor foi peremptório: Só lá para 2098. Antes disso, disse, já tem todos os anos ocupados com projectos. Não são tantos, mas são muitos. A saber: Em 2010 quer publicar o livro «Porto e os seus Hospitais – Um Retrato Social», em 2011 publicará a «História do Académico Futebol Clube», em 2012 sairá o «O Carnaval no Porto» e em 2013 a obra «Festas Populares».

Helder Pacheco foi o último convidado da Biblioteca Municipal de Valongo para participar na iniciativa «Os escritores visitam a biblioteca…». E foi precisamente porque o convite era para estar numa biblioteca que Helder Pacheco aceitou sem pensar duas vezes. Foi no final de uma extensa leitura de um texto que fará o posfácio de  uma obra sua futuramente, que o presidente da Câmara Municipal decidiu interpelar o autor e desafiá-lo para a publicação de uma obra inteiramente dedicada ao concelho de Valongo, dado que em alguma publicações Helder Pacheco já se referiu a valências do concelho, designadamente às serras.

Bugiadas têm profundidade histórica
Apesar da resposta negativa, Fernando Melo lembrou a tradição única que representam as Bugiadas. Nesse  momento, Helder Pacheco não resistiu e sublinhou que estas são “a grande festa da cultura popular portuguesa”. “As Bugiadas expressam a autenticidade de um país antigo, corporizam o momento mágico de viver a vida”, disse, relevando que “há uma grande profundidade histórica”.
O encontro com Helder Pacheco no passado dia 27 de Março foi mais do que uma conversa sobre livros. O escritor e conhecedor da história e realidade do Porto e Área Metropolitana falou das consequências do centralismo e de que forma este tem afectado o desenvolvimento. Helder Pacheco aproveitou para deixar claro quão importante é a decisão acerca da gestão do Aeroporto do Porto e como o Norte será prejudicado caso se opte por entregar a gestão à mesma entidade que gere o Aeroporto de Lisboa.
A anteceder o encontro, como aliás tem sido habitual, houve um pequeno momento musical, desta vez a cargo da Orquestra Tradicional das Bugiadas. Como não podia deixar de ser, a sala polivalente da Biblioteca Municipal de Valongo voltou a encher. Marcante foi igualmente a intervenção, ainda que inesperada, de Maria de Lurdes dos Anjos, uma escritora portuense que tem uma especial predilecção por Helder Pacheco. Maria de Lurdes dos Anjos leu, emocionada, um texto escrito por si, alusivo ao Porto e às tradições, principalmente da freguesia do Bonfim. A escritora, confidenciou a própria ao nosso portal, será uma das próximas convidadas da biblioteca, tendo editado já três livros: «Porto nas nossas mãos», com prefácio de Helder Pacheco, «Entre o Granito e a Neblina» e «Nobre Povo» com prefácio de Carlos Magno e ilustração de Jaime Isidoro.

30 de Março


 
%d bloggers like this: