Desde algures no Porto, algumas notas de actualização

Encontro-me no Porto há já algum tempo. Tive de procurar um daqueles sítios onde se pode usar um PC, para actualizar o blog, ver emails…etc. O Porto é uma cidade desconcertante. Basta nos passearmos a pé por uma hora, e encontramos as mais díspares diferenças socio-economico-arquitectónicas. Tanto nos deparamos com prédios antigos devidamente restaurados, como ao virar da esquina somos brindados com casas degradadas, telhados sem telha, donde sai, como por encanto, um gato branco lindo e esfomeado. Detenho-me na porta duma tasca, compro uma sandes de carne, e vou a correr deixá-la junto à porta de onde saiu o gato. A casa parece abandonada…mas para espanto meu, ao virar as costas, sai de lá uma moça toda despachada a falar ao telemovel. Fiquei sem saber… Vão-me perdoar os ferrenhos da cidade do Porto, e os próprios portuenses, de quem tenho a melhor das impressões. Mas…a verdade, é que o Porto deprime-me. A visão que tenho de todas aqueles prédios degradados, transporta-me a um estado de espírito de ondas cinzentas. Contudo, depois, há Serralves, há a Casa da Musica, há o rio… E, o Porto volta a valer a pena…

Publicado por Valéria Mendez em abril 2, 2007 12:17 PM

ComentáriosVejo que vive no Porto mas não O compreende.Eu que sou Portuense e não vivo no Porto, aconselho-a a ler Helder Pacheco, vai ver que passa a viver melhor.

 

Afixado por: Carlos Guimarães em abril 2, 2007 01:40 PM


 
%d bloggers like this: